Formação em Coaching fazer ou não fazer…

Formação em Coaching fazer ou não fazer…
dezembro 05 20:34 2015 Imprimir Este artigo

foto44414

O Coach e o “Fast-Food” intelectual

Ultimamente tem proliferado os cursos de Coaching pela internet, e mesmo presenciais, são inúmeras empresas e formatos diferentes, nomes variados e criativos, muita variação sobre o mesmo tema.

Essa grande oferta de cursos tem trazido consigo um problema, nem vou falar da qualidade dos mesmos, pois, a cada um cabe sua própria autocrítica, e o mercado é o melhor filtro que há, mas o que me aflige é a confusão que vem se instalando na cabeça dos potenciais clientes destes empreendimentos.

Ora, a divulgação de conhecimento é, para mim, um dos maiores benefícios da internet e do mundo atual, e não critico a proliferação e a democratização de ensinamentos profissionalizantes, pelo contrário sou um forte defensor desta ampla dispersão de conhecimento.

O problema é que as pessoas estão se confundindo entre fazer uma formação em Coaching e fazer um processo de coaching.

Vejamos bem, imagine que você fosse construir sua casa, você precisa de um projeto certo?  O que você faz? Procura um arquiteto ou faz um curso de arquitetura? Se você tem uma dor de dente, você procura um dentista ou vai fazer uma faculdade de odontologia?

Portanto, o que me preocupa é que ultimamente inúmeras pessoas estão fazendo formação em coaching quando na verdade deveriam estar fazendo um “processo” de coaching. Não estou preocupado com a concorrência, mas na verdade com a insatisfação gerada por um investimento que não irá lhe render os frutos esperados, e principalmente com o respaldo negativo desta insatisfação quanto ao coaching.

A formação em coaching não se resume tão somente ao aprendizado das técnicas e formatação de sessões, não é restrita a uma titulação acadêmica e muito menos a uma única filosofia de aprendizado.

O Coach é uma profissão que demanda um constante aprendizado e uma enorme capacidade de flexibilização, pois, afinal de contas estamos lidando com o “ser” e não com um projeto qualquer.

Relegar um processo de coaching a uma formação de algumas horas ou alguns dias, e uma única teoria seria como dizer que todos os seres humanos são iguais e que a fórmula básica é válida para todos, e isto não é real.

O cliente em potencial de um curso de Coaching tem que perceber que a formação em questão é diferente de um processo, na formação em coaching você vai aprender como se tornar um Coach, já no processo de Coaching, você vai ser guiado por um profissional, espera-se que devidamente habilitado, para identificar e potencializar suas qualidades, otimizar seus procedimentos em suma ser uma pessoa melhor.

Já numa “fábrica” de Coaches você vai ser moldado por uma filosofia, por meio de imersão em uma teoria única, muitas vezes embriagado pelas técnicas utilizadas com destreza por profissionais capacitados para motivar e “vender” a ideia, entretanto, assim que o “corpo esfriar” e as coisas voltarem ao seu devido lugar, você percebe que a “verdade absoluta” que lhe ensinaram não é “tão” absoluta assim, e que você continua tendo as mesmas limitações que antes.

Como disse acima, e repito, não sou contra cursos de formação em Coach em todos os formatos e titulações, não sou contra a proliferação de cursos de práticas e filosofias únicas difundidos por inúmeras fundações e instituições multinacionais, o que me preocupa é o uso errado destas ferramentas, nem todos nós vamos fazer medicina para curar nossas próprias enfermidades, então por que fazer um curso de formação em Coaching se na verdade eu preciso de fazer um “Processo de Coaching”.

O que me preocupa é o “fast-food” que vem sendo vendido como “Formação em Coaching”, e o crescimento de franquias de ideias e formatos prontos que proliferam seus ensinamentos como verdades universais e absolutas, e que unicamente se preocupam na monetização e na multiplicação de seguidores.

No meu texto (O que é coaching) esclareço o que é o processo de coaching.

Não caia na armadilha da receita pronta.

Se você precisa de orientação está se sentindo limitado, necessita de mudança, e não está satisfeito com o que vem colhendo procure um Coach.

como-surgiu-o-coaching-historia-do-coaching

  Categorias:
veja mais artigos

Sobre o Autor

Rodrigo Rodrigues Del Papa
Rodrigo Rodrigues Del Papa http://blogdodelpapa.blogspot.com.br/

Bacharel em Direito com ênfase na área Empresarial pela Universidade Vale do Rio Doce em Minas Gerais, atua com gerenciamento de equipes, Gestão de Pessoas, organização de eventos, treinamentos e palestras desde 1995. Foi Professor, Coordenador dos cursos de Direito e Administração, na FACIDER – Faculdade de Colíder em Mato Grosso um dos fundadores do Curso de Direito atuou no corpo docente também da Faculdade de Ciências Sociais em Guarantã do Norte/MT. Personal & Professional Coach com habilitação pela Sociedade Brasileira de Coaching, estudioso do comportamento e das relações humanas.

Ver Mais Artigos

Seja o primeiro a comentar. Vamos adorar!

Você pode ser o primeiro a escrever um comentário .

Adicionar um comentário

Deixe uma resposta